Diorama Movie Awards 2011 – Parte V

Roteiro Original

Se tem uma coisa que fez de A Origem o que é, isso é o roteiro. O trabalho de Christopher Nolan nas duas adaptações da franquia Batman, apesar de pouco reconhecido nas premiações, teve uma excelente recepção do público cinéfilo. Acontece que, apesar de se sair muito bem adaptando, é nos roteiros originais que Nolan se destaca. Amnésia o trouxe aos holofotes numa composição de texto e personagem incrível, mas é com A Origem que ele alcança o ápice de sua carreira e genialidade, num roteiro complexo e ousado, repleto de ideias mirabolantes bem amarradas e coerentes. Impossível escolher outra opção aqui.

Outros indicados: A Fita Branca, Lunar, Mary e Max e Tropa de Elite 2

Em 2010: Bastardos Inglórios

Roteiro Adaptado

Talvez o filme que tenha agradado mais crítica e público ao mesmo tempo em 2010, A Rede Social se destaca por ir além de documentar a criação do Facebook. O roteiro traz um texto muito bem elaborado com momentos que tiram o longa da definição de teen movie. A dupla de roteiristas está de parabéns por tratarem a figura nerd de uma maneira adequada para que tudo ali fosse visto com seriedade, como deve ser visto. Não é de se estranhar que muita gente se identifique com o filme, já que o roteiro, acima de tudo, faz com que os personagens e todas as considerações feitas acerca da juventude do século XXI sejam reais, mas não apenas por se tratar de uma história verídica, mas principalmente pelo excelente trabalho de roteiro adaptado que temos nesse grande filme.

Outros indicados: Amor Sem Escalas, Onde Vivem Os Monstros, Preciosa e O Segredo dos Seus Olhos

Em 2010: Dúvida

Ator Coadjuvante

Como se já não bastasse o excelente trabalho em Guerra Ao Terror, Jeremy Renner (Atração Perigosa) ainda rouba a cena no filme do Ben Affleck. Alguns atores e atrizes conseguem incorporar seus personagem de maneira única. Mesmo através de mínimas expressões como um simples olhar ou a forma de andar, enfim, qualquer coisa aparentemente irrisória, no final das contas acabam por compor aquele personagem, o tornando crível. Renner é um deles. Chega até a ser difícil imaginar como é o ator fora daquele ambiente que o filme passa, sem os trejeitos e formas que seu personagem possui. Só há o que elogiar.

Outros indicados: Andrew Garfield (A Rede Social), Woody Harrelson (Zumbilândia), Mark Ruffallo (Minhas Mães e Meu Pai), Irandhir Santos (Tropa de Elite 2)

Em 2010: Christolph Waltz (Bastardos Inglórios)

Atriz Coadjuvante

O complicado de personagens caricatos é que dificilmente seus intérpretes se destacam. Definitivamente não foi isso que aconteceu com a Rainha Vermelha de Helena Bonham Carter (Alice no País das Maravilhas). Aliás, se tem uma atriz hoje em dia capaz de interpretar personagens caricatos de maneira mais admirável que ela, desconheço. Não só fez com que a Rainha Vermelha se tornasse de longe a melhor personagem do filme de Tim Burton, como soube deixá-la com a cara de… Helena Bonham Carter. Ímpar.

Outros indicados: Mo’Nique (Preciosa), Anna Kendrick (Amor Sem Escalas), Julianne Moore (Direito de Amar) e Chloe Moretz (Kick-Ass)

Em 2010: Emily Mortimer (A Garota Ideal)

Anúncios

2 Comentários on “Diorama Movie Awards 2011 – Parte V”

  1. Roteiro original: hey, o roteiro de “O Grande Truque” é adaptador, não original. E acredito que já tenha dito em outras ocasiões que detesto o texto todo mastigadinho de “A Origem”. Assim, a minha escolha entre os seus finalistas seria o de “Tropa de Elite 2” – ele é adaptado, não?

    Roteiro adaptado: outra escolha como melhor que não me agradou, pois entre todos os filmes que tratam sobre essa geração de redes sociais e outros vícios virtuais “A Rede Social” talvez seja o menos oportuno. Minha escolha seria “Preciosa – Uma História de Esperança”.

    Ator coadjuvante: Jeremy Renner faz mesmo um trabalho espetacular em “Atração Perigosa” e seria a minha escolha com base em seus finalistas. Gosto do estilo clássico de seu desempenho, me fazendo relembrar de clássicos como “Um Dia de Cão”.

    Atriz coadjuvante: outra escolha acertadíssima! Helena Bonham Carter é uma grande atriz e uma das poucas a incorporar com perfeição personagens surreais (a exemplo de sua Bellatrix de “Harry Potter”).

    • Verdade, Alex! Corrigi sobre O Grande Truque, tks. Não considero Tropa de Elite 2 como roteiro adaptado, já que é uma estória nova, embora tenha se iniciado com o livro do primeiro filme. Já vi que você não curtiu os badalados, pra variar, então vamos ao que concordamos. Acho o estilo “clássico” de atuar, como você definiu, do Renner muito bom mesmo. Ele REALMENTE incorpora o personagem. O mesmo pode ser dito da Bonham Carter, que recebe papeis mais irreais e os interpreta de uma maneira brilhante e um outro grande exemplo disso é mesmo a Bellatrix, minha personagem favorita de Harry Potter ao lado do Snape, mais pelos seus intérpretes do que pelos personagens, mas ainda assim.

      Abraço.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s