Toy Story 3, de Lee Unkrich

Quinze anos após o início da franquia, a elogiada animação ‘Toy Story’ – o primeiro em longa-metragem da história a ser feita completamente em computação gráfica – está de volta com o seu terceiro filme, tão bom quanto antes, dessa vez com o roteiro escrito por Michael Arndt, vencedor do Oscar por ‘Pequena Miss Sunshine’. A direção fica por conta de Lee Unkrich, também vencedor do Oscar, por ‘Procurando Nemo’. No novo filme, Andy já está crescido, prestes a ir para a faculdade, quando seus brinquedos são acidentalmente doados para uma creche.

Indo sempre direto ao ponto, sem lições de moral baratas explícitas e, acima de tudo, sem perder a essência que fez de ‘Toy Story’ um clássico da animação, o terceiro longa cumpre muito bem o seu papel de mostrar mais uma fase na vida dos brinquedos de Andy. Os menores vão se divertir bastante, assim como os maiores, que verão seus sentimentos mais escondidos serem reavivados na sessão, o que já é bem rotineiro nas animações da Pixar.

‘Toy Story 3’ agrada até nas piadas mais infantis, em especial as que envolvem Barbie e Ken. As seqüências de aventura, apesar de um clichê perdoável aqui e outro ali, são muito bem elaboradas, assim como a excelente trilha de Randy Newman que as acompanham. Ainda que sejam várias as cenas de dar nó na garganta durante a sessão, é o final o ponto mais alto do filme e talvez o momento mais emocionante de toda a franquia. Antes de ser lançado, ‘Toy Story 3’ parecia muito comercial, aparentava perder-se da linha dos filmes anteriores, mas definitivamente isso não aconteceu.

Anúncios

6 Comentários on “Toy Story 3, de Lee Unkrich”

  1. Luis Galvão disse:

    Que alívio! Eu sempre gostei muito da franquia em si, e estava com medo do teor ‘comercial’ da realização deste. Ainda bem que foi diferente. E a trilha de Newman sempre foi um dos pontos altos de série. E só poder rever os velhos e bons personagens, já é diversão garantida.

  2. @igorpotter disse:

    Ainda bem ² // Imagina se estragassem uma das melhores séries cinematográficas, de animação ? se nãop, a melhor. Adorei o Post 😉

  3. monk disse:

    tbm quero que os meus sentimentos mais escondidos sejam reavivados *-* quero assistir. aiai, leco é foda mesmo com essas resenhas u.u, pelo contrario de suas imitações de feirinha kkkkkkkkkkkkk[sushi] ;D

  4. Vinícius P. disse:

    Era de se esperar que a Pixar não seguisse um estilo unicamente comercial mesmo, afinal até suas produções menos reconhecidas pela crítica (“Carros”) tem algo de especial. Fiquei mais curioso agora!

    • Luis, também sou um fã da franquia e tive que me controlar pra não dar 5 estrelas. Rever Woody, Buzz e cia. foi muito válido. Não perca de forma alguma.

      Igor, de forma alguma a Pixar faria isso.

      Monk, só não chore assistindo. haha

      Vini, já disse várias vezes que acho Carros um filme deslocado da Pixar. Os demais são infinitamente superiores a esse. Porém, é verdade que a Pixar sempre dá um jeitinho de agradar e, se isso aconteceu até com carros, era meio difícil que não acontecesse com Toy Story 3.

  5. Matheus Rufino disse:

    Ah, sem graça.. Acho que o filme merecia 5 estrelas! mesmo sem ter visto.. haha brinks, mas acho que vou gostar mais que você, quer dizer, acho não, espero que eu goste mais. Toy Story foi parte essencial da minha infância, guardo quase com o mesmo carinho que guardo Rei Leão, pelo que falam, e do jeito que eu sou mole, já vi que vou chorar fácil. Não vejo a hora! Pena que aqui em BH, legendado, só tem em 3D, queria ver em 2D mesmo, sabe como é, né? nostalgia


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s