Alice no País das Maravilhas, de Tim Burton

Adaptada por Linda Woolverton (‘O Rei Leão’) e dirigida por Tim Burton (‘Sweeney Todd’), o novo ‘Alice no País das Maravilhas’ mostra uma Alice de 19 anos que acaba indo parar novamente no País das Maravilhas, onde terá de ajudar a derrubar o reino da Rainha Vermelha. Mia Wasikowska, Johnny Depp, Anne Hathaway e Helena Bonham Carter integram o elenco.

Tim Burton é um daqueles diretores que seja lá qual for o gênero do filme, acaba deixando sua marca, capaz de ser identificada por qualquer um que conheça seu trabalho. A estória original de ‘Alice no País das Maravilhas’ por si só já é um tanto sombria e assombrosa e ao ser citado o nome de Burton para a direção do mesmo era de se esperar algo realmente impressionante, o que não foi bem o que aconteceu.

O ‘Alice no País das Maravilhas’ do Burton é sim visualmente impecável, mas quando vemos a estória da jovem na tela grande nada mais impressiona. A começar pela australiana Mia Wasikowska que em nada contribui para que sua Alice cause algum sentimento no público. Seja ao menos ódio pela personagem foi impossível sentir algo pela personagem. Auxiliada pelo roteiro, a atriz transformou Alice numa das personagens mais descartáveis do cinema.

Era de se esperar um filme comercial, afinal Avril Lavigne na trilha sonora não é artifício para atrair um público mais crítico. O raso roteiro de Linda Woolverton nem parece ter sido escrito por aquela que já foi responsável por clássicos da sétima arte como ‘O Rei Leão’ e ‘A Bela e A Fera’. Há um ponto aqui e outro ali que valem a pena, mas no geral falha. A montagem também não colabora para algo melhor, sem muito além do óbvio.

Efeitos visuais, direção de arte, figurino, maquiagem e a excelente fotografia transformam o longa em algo bonito de se ver. Mesmo se tratando de Tim Burton, chega a surpreender. A criação dos personagens, especialmente a do gato Cheshire, foi um trabalho bastante eficiente, digno de todos os elogios possíveis. A transformação de Helena Bonham Carter na rainha vermelha é tão bem feita, que parece real.

Além do trabalho técnico, três nomes no elenco salvam o longa de ser uma bomba. Johnny Depp se sair bem num papel como o Chapeleiro Maluco já era óbvio, mas ainda assim vale ressaltar. Não há como imaginar outro ator vivendo o personagem. Anne Hathaway, em pequenas aparições, convence muito bem com sua Rainha Branca, ao passo que a mulher do diretor, Helena Bonham Carter, transforma cenas clichês em algo realmente divertido no papel da Rainha Vermelha.

Trocando em miúdos, ‘Alice no País das Maravilhas’ de Tim Burton falha ao contar a estória, mas tem um grande sucesso ao criar tal mundo. Alice sendo quase um rei Arthur para derrubar a Rainha Vermelha e a falta de emoção da protagonista acabam sendo meio que compensadas pela humanização que Burton deu aos personagens daquele mundo. Não vale muita nota, mas a sessão é indispensável.

Anúncios

9 Comentários on “Alice no País das Maravilhas, de Tim Burton”

  1. Vinícius P. disse:

    Eu gostei da Alice, mas concordo que a história não conquista tanto quanto deveria. A produção é mesmo impecável e o tom de fantasia é o maior destaque, mas faltou algo. Adorei a Rainha Vermelha.

  2. Luis Galvão disse:

    Bonham Carter, para mim, é a melhor coisa do filme (inclusive a parte técnica), acho que a construção do seu personagem foi perfeita e se todos conseguissem alcançar o nível de atuação dela o filme seria bem melhor. Entretanto, ainda vale o ingresso.

  3. Wally disse:

    Estou especialmente curioso, mas o excesso de críticas desanimadoras me deixaram bem menos ansioso pela película. Tentarei conferir amanhã.

    • Vini, a sensação de que falta algo acho que é comum, mesmo para aqueles que gostaram mais do filme do que eu. Bonham Carter está perfeita e fez o melhor personagem do longa.

      Luis, como eu disse ao Vini, ela foi o melhor personagem do longa e adorei a atuação da Bonham Carter. O trabalho gráfico que tiveram com essa personagem é impecável, assim como de todo o filme.

      Wally, não acho um ótimo filme, mas é daquelas sessões indispensáveis para os cinéfilos. É um Invictus da vida. haha

      Abração!

  4. Tantas críticas negativas e praticamente todos os blogueiros têm a mesma opinião sobre o filme – me causou repulsa, e nem quero assisti lo por agora.

  5. Pedro disse:

    Caramba, três estrelas. Você foi bonzinho com o Tim Burton…

  6. Lauder disse:

    Cara, esse filme é uma ², mistura da porra de alice no pais das maravilhas, tá mais pra alice no pais dos espelhos.
    sinceramente, achei uma bosta. :p
    pra mim isso nem ganharia meia estrela leco.

  7. Matheus Rufino disse:

    Nossa, esse filme era um dos que eu mais queria ver no início do ano, principalmente pela Mia Wasikowska[veja só que coisa], não imaginava que ela estaria mal, é tão fantástica em in treatment. Mas assim que começaram a sair as primeiras opiniões sobre o filme, já fui desanimando violentamente, lembrei-me do caso Watchmen que foi uma das experiências cinematográficas mais broxantes que tive nos últimos tempos. Alice ainda tá em cartaz aqui ainda, mas acho que devo esperar pelo dvd, que verei, provavelmente, depois de protelar bastante.

    • Cristiano, nem chega a ser negativo, mas fica muito aquém do Burton.

      Pedro, como eu disse, está muito aquém do Burton, mas é um filme bacaninha.

      Lauder, deixa de ser exagerado. lol

      Matt, valia mais com o 3D, mas… E eu gostei de Watchmen! 😀

      Abração!


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s